BGS 2015 3


Nunca achei que poderia fazer um Blog. Afinal minha cara feia ia deixar a Angelina com vontade de deixar o Brad. Falando sério, gravar, editar, escolher trilhas, preparar roteiro, fazer pesquisas e outras coisas que são necessárias para um bom programa, ainda afastam meu lado exigente de fazer algo meia-boca.

Penso em fazer um programa com rodas de papo e… Melhor manter em segredo.

Mas desde que voltei da BGS, estava com vontade de compartilhar está experiência com mais pessoas.

Antes de mais nada é preciso contextualizar minhas expectativas e planos sobre a BGS de 2015.

Eu sempre gosto de planejar as coisas, porém muitas das vezes, meus planos acabam virando engendradas fantasias de coincidências fantásticas. Muitos sabem que sou um sonhador incurável. Aconselho para todos, sempre fazem planejamentos para melhores e nem tão boas hipóteses, o pior é estar de frente para a sorte e não saber como agarrar.

Eu antes de viajar já estava tentando estreitar contatos, se bem que contatos no mundo virtual, no meu caso sempre considero reais. Mas essas histórias ficam para outro dia. Comecei a assistir umas transmissões ao vivo e procurei achar as pessoas que tinham o que falar, tem muito mimimi entre gamers. No meio de um programa, sondei gostos por doces e castanhas. Como é hábito de Paraense viajar com isopor (Olha o Cariense ou Paraoca fazendo graça), sempre levando sabores daqui pra todo canto, preparei uma lembrança. Agora é que a viagem desliza na maionese, ia entregar uma lembrança para o Phil Spencer! É claro que ia trocar uma ideia com ele… Bem, a realidade é cruel, principalmente para quem chegou em São Paulo no dia seguinte da Première… Bem, nem tudo dá certo sempre.

Mas vamos pra BGS 2015, afinal, pouco dias antes, me comprometi a levar uma cartola para um tal Jacob Frey. Promessa é dúvida, e tento sempre cumprir as minhas. Preciso dizer que me espantei ao entrar tão rapidamente, não fiquei em fila no sol, como na traumática edição de 2013. Dentro, fui em busca de cumprir minhas promessa, minha fiel escudeira (e mulher), também queria se livrar da sacola que eu carregava.

IMG_0762

Foi então que as coisas começaram a dar frutos inesperados, me encontro parado em frente ao stand da empresa onde o tal Jacob ia ficar e ele tinha saído para me procurar, eu tinha lido uma mensagem no celular, mas não consegui rede para responder. Poucos instantes depois ele aparece e vou ao encontro dele. Ele conversava com uma pessoa e ao tirar a cartola da famigerada sacola ele, sorri e fica agradecido. Ele ainda nem sabia que eu havia levado a cartola como presente, ele acreditava ser um empréstimo. O legal, soube depois, foi que um jovem curtiu demais o trabalho dele no seu traje e ele deu sua cartola, uma que tinha feito, pro jovem. Começou uma corrente do bem.

Saí dali e fui para o stand mais movimentado da BGS 2015, onde tinha duas missões: entregar três lembranças aos meus amigos virtuais e uma para o Phil Spencer. Bem, logo que me aproximei do stand, notei que o Phil estaria um pouco mais afastado do público, sorte dele, pelo que conheço da galera, nem espirar ele ia poder, sem tirar uma foto ou dar um autógrafo.

Os três amigos estavam justamente tirando fotos com seus inúmeros fãs, me aproximei, rodeando o grupo para poder vê-los de frente. Passei minha câmera para minha escudeira e passei ao ataque, comecei um papo rápido, enquanto nos preparávamos para a foto, fui entregando as lembranças e tirando caras de espanto dos três, acho que eles nem lembravam que eu tinha falado que ia levar castanhas, se bem que não levei, foto devidamente tirada e uma pergunta foi feita: tem como entregar para o Phil? A resposta, foi quase um desafio, espreitar, preparar um bote e atacar quando ele viesse para perto da galera. Não quis ficar mais empacando a fila de fãs para as fotos, prometi voltar depois e fui saindo de fininho.

IMG_0743Foi quando ganhei o melhor brinde que ganhei na BGS 2015, e não foi só um foram dois! Um me pegou tão de surpresa, que minha reação foi quase ou totalmente de espanto. Um abraço, sincero, espontâneo e elétrico, fiquei com cara de bobo e minha escudeira ficou com cara de UAU, que fofo! Em seguida recebi outro abraço tão bom quanto o primeiro, seguido de um agradecimento o qual respondi com umas das poucas frases que falo em outras línguas. Estava 85% realizado.

Passeei pela BGS, vi consoles com quase a minha idade, mais novos e vários jogos. Tirei fotos fazendo graça, no mais juvenil espírito de diversão. Voltei ao início para ver tudo de forma organizada, tirei uma foto com o Jacob Frey, meu amigo do Credo dos Assassinos, fomos ver o GOTY na opinião da escudeira o Just Dance e rodamos por quase todos os stands.

Como não estava com muita vontade de ficar em filas para jogar as demos da BGS, fiquei apenas apreciando os jogos e jogadores se enfrenando em várias arenas. Decidi sair um pouco mais cedo da BGS e satisfazer uns apelos de passeio da escudeira, que vou dizer para vocês, quase uma busca pelo Graal. Mas antes tinha que completar minhas tarefas, e tentar fazer as duas perguntas ao Phil e dar uma sugestão de usuário.

Queria saber se a empresa do Phil, estava mudando de Software para Hardware? Saber se ele achava que a concorrência havia perdido este ano e se isso era evidente no Brasil. Sugerir que a empresa passasse a fazer uma prática mercadológica comum aqui no Brasil, parcelar no cartão de crédito.

Eu quase tinha esquecido que tinha comprado uma revista na véspera para pedir um autógrafo na matéria escrita pelo meu, já real, amigo. Enquanto espreitava o Phil eu ia procurando meus amigos e nada de achar nenhum deles. Então, num arroubo de esperança, meus antepassados me colocam de frente para o Phil, ele indo embora pra casa, eu falei, estejam prontos, dei o bote, saquei a lembrança enquanto chamava por ele — PHILLLLLLLL! To You! Nossa, as vezes eu me odeio por não ter feito um curso de idioma… Ele se espantou, parecia estar recebendo uma caixa de sapato com fita crepe fazendo tic-tac de um primo do Bin Laden. Mas insisti, ele pegou e foi embora entre os fãs. Até agora não sei se ele comeu e gostou. 90% do desafio cumprido.

Logo depois a grande equipe de trabalho do meu amigo (estou insistindo, vai que cola!) conseguiu localiza-lo e ficamos conversando por longo 20-25 minutos, trocando ideias e percebendo afinidades nas área dos jogos, uma pequena surpresa neste momento, um jovem se aproxima e pede uma foto, saio pro lado, não curto sair de papagaio em foto de fã/ídolo, mas não é que o jovem me chama pra foto! Meus 15 segundos de fama na BGS! Peguei meu autógrafo, me despedi. Deixei abraços e beijos para as meninas que não estavam por lá e fui em busca do Graal. 100% feliz. E com novos amigos na memória, no coração, no virtual e no real!

Que venha a BGS 2016, se tudo der certo, estaremos lá de novo, curtindo games, rindo bastante e reencontrando os amigos! Até lá!

Eduardo “Sgt Rock 1967” Rocha é o idealizador do Nós Nerds! Técnico em informática e gamer inveterado e veterano.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 pensamentos em “BGS 2015