Gameterapia em Belém 10


Quando nós pensamos em games, pensamos em ganhar o inimigo, seja ele o invasor do seu reino, o corredor habilidoso, o alien mutante assassino, o fantasma demoníaco ou qualquer outra ameaça, muitas vezes, queremos ganhar apenas um adversário de partida, em esportes, numa luta ou batalha em multiplayer. Mas não é o caso de quem está fazendo Gameterapia no Hospital Ofyr Loyola, aqui em Belém do Pará.

Lá, estão jogando pessoas, que estão lutando contra algo mais, um adversário real, que por muitas vezes ataca silenciosamente. Quando eu me preparei para fazer as entrevistas com o Juliao El, que fez as fotos desse post, esperava ver pessoas mais caladas, tristes e sem esperança. Grande erro, enorme erro, monstruoso erro. Graças a Gameterapia, encontrei pacientes alegres, dispostos e com uma autoestima a mil, ganhando seus games, mesmo quando nem lembram o nome direito, não é mesmo Dona Luzia?

Dona Luzia, firme e forte jogando Madagascar, com seu filho que a acompanha durante o tratamento. Pronta para a entrevista, queria logo se levantar para falar conosco e começar a falar da Gameterapia. Do lado dela estava Ana Andreza, com um grande sorriso e uma alegria de quem acabou de ganhar um campeonato online!

A terapia com games, Gameterapia, tem várias áreas de atuação, em algum Hospitais. É usada para desenvolvimento da coordenação motora, recuperação de grupos motores em caso de lesões ou como no Hospital Ofyr Loyola, apenas para  diminuir a tensão e o estresse do tratamento médico.

Durante nossa conversa com a terapeuta Márcia Patrícia, ela nos falou, que mesmo com a deficiência em equipamentos, 3 videogames e 3 tvs, os 16 pacientes das oito enfermarias atendidas pela Gameterapia estão tendo resultados significativamente melhores na resposta aos tratamentos e na recuperação do que os pacientes não atendidos pela Gameterapia.

Juliao El

Quando chegamos na enfermaria, deixei as entrevistas por conta do Sgt Rock e fiquei responsável por registrar por meio de fotografias os entrevistados e os equipamentos disponíveis. É incrível que mesmo com tão pouco o projeto de Gameterapia leva uma motivação tão grande para os pacientes atendidos.

Pode parecer banal mas simples horas de jogatina com a torcida dos acompanhantes do quarto geram um fator motivacional muito grande e proporcionam momentos de muita alegria e descontração a esses pacientes que lutam diariamente em seu tratamento.

Em uma conversa mais informal e bem rápida, percebi que existe uma melhora significativa na motivação das pacientes, principalmente na D. Luzia que era a mais falante e sorridente do quarto, e que graças as doações recebidas, principalmente pela comunidade gamer de Belém, o projeto tem apresentado bons resultados.

Ouçam nosso Podcast com as entrevistas e alguns comentários a mais  e participem da nossa campanha, compartilhando esses posts com #InsideemBelem.

Logo Curti

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de dicas, sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do Youtube, para acompanhar nossas publicações e ficar por dentro das notícias do mundo gamer, concursos e promoções!

Eduardo “Sgt Rock 1967” Rocha é o idealizador do Nós Nerds! Técnico em informática e gamer inveterado e veterano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 pensamentos em “Gameterapia em Belém