Phil Spencer fala sobre inovação do Xbox One


O chefe da divisão Xbox da Microsoft, Phil Spencer, em seu mais recente podcast com o Major Nelson, esclareceu com mais detalhe a visão da companhia com relação a inovação do console Xbox One, sobre os planos a longo prazo para a plataforma e ainda sobre os games para PC.

O esclarecimento chegou no momento em que surgiram críticas a própria Microsoft sobre a integração de uma plataforma única envolvendo o Xbox One e o PC. Para estar por dentro de todo assunto discutido na mídia gamer nos últimos dias e também no blog “Nós Nerds”, sugerimos as breves leituras dos seguintes posts: “Microsoft irá monopolizar os games para PC?” e “Phil Spencer responde crítica de Tim Sweeney“.

Spencer disse no podcast: “Começamos esta discussão em Janeiro de 2015 e estou sempre a receber feedback da comunidade PC. Alguns dizem ‘fica fora disto. Phil, és um idiota’. Eu leio os tweets e por vezes digo coisas que não são as mais inteligentes mas eu ouço. Posso dizer isto: somos a Microsoft. Construímos o Windows. O sucesso dos games no Windows é incrivelmente importante para nós.”

O responsável máximo pela divisão Xbox ainda enfatizou que o sucesso do Steam no Windows é muito importante para a Microsoft, pois trazem os maiores programadores disponíveis na plataforma e o mercado dos games no PC é igualmente importante para a companhia.

Continuando o podcast: “As pessoas vão dizer, ok, são as pessoas da Xbox, estão a tentar estupidificar os games no PC, estão a lançar vários jogos na loja Windows que não suportam V-sync e sem suporte para várias GPUs. Posso dizer que, nesta jornada, queremos apresentar as melhores experiências PC. Não vou dizer que o que estamos a fazer e ao entregar a nossa experiência 1.0 de momento na loja é o destino. As pessoas não devem olhar para a nossa dedicação aos games no PC como uma tentativa de levar a experiência do console para PC. São duas formas completamente diferentes que queremos abraçar.”

A companhia de Redmond está entrando numa fase em que teve um bom ano de 2015 e começa a preparar a chegada de novos games para o Xbox One e PC, esperando receber o feedback da comunidade gamer para saber os caminhos por onde evoluir. Spencer acredita (e compartilho a mesma opinião) que um jogador dedicado ao PC possui o perfil diferente do jogador dedicado ao console.

O problema é que a mídia do setor, em sua maioria tendenciosa para uma determinada plataforma ou marca, critica a nova visão da fabricante do Windows 10 de tal forma que auxilia o público gamer, principalmente os fãs da marca, a ficarem confusos com relação a visão a longo prazo para o Xbox One. A mídia enfatiza que a Microsoft anunciou que o atual Xbox poderia ser melhorado ou que seriam lançados modelos mais poderosos, ou até mesmo um novo console. Spencer explicou um pouco mais com relação a visão da companhia e espera que o público em geral compreenda:

“As pessoas já me perguntaram, vamos fabricar outra consola? E eu respondo que espero que sim. Quando me perguntam porque respondo ‘espero’ e não simplesmente sim, respondo que as minhas decisões são baseadas na atualidade. Não posso prever o futuro. Mas se pensares na nossa estratégia, a estratégia é uma visão a longo prazo que inclui várias gerações de equipamento, tanto nas consolas como no PC.”

Palavras sensatas e sábias e que correspondem ao óbvio para qualquer grande empresa. Spencer não terminou e explicou também que o plano não é os consumidores abrirem o console e começar a atualizar peças individuais. “Não é esse o plano. Existe algo especial em relação ao que acontece num console. Podes comprar um periférico. Podes ligá-lo à TV. Funciona quando ligas. Não vamos juntar uma chave de fendas a cada console que lançarmos.” E concluiu dizendo:

“As inovações no equipamento acontecem e queremos ter a capacidade de as abraçar nos consoles, para as tornar disponíveis, e talvez não tenhamos que esperar sete ou oito anos para que algo aconteça. De momento, não iremos anunciar um novo console. Estamos contentes com o que temos, a plataforma que construímos e a constante inovação, além dos jogos que estão nela. Mas em termos da visão a longo prazo, quero assegurar que as pessoas compreendem que estamos a fazer algo que acreditamos ser o melhor para o console, além de ser bom também para o PC.”

Phil Spencer encerrou com o game Quantum Break, reafirmando que foi anunciado como exclusivo Xbox One porque o desenvolvimento arrancou dessa forma e que existem cada vez mais estúdios a desenvolver games para o console e que o mesmo terá games exclusivos.

Aliás, o assunto sobre games EXCLUSIVOS para o Xbox One será a publicação de amanhã!

 

E você leitor, qual seu comentário a respeito do post?

Escreva abaixo seu comentário, assine o blog e compartilhe com seus amigos!

Reinaldo Vargas “reavargas” (Twitter: @reinaldovargas e Instagram: reavargas.sp) é Resenhista do Nós Nerds! Professor Universitário e GAMER nas horas vagas. Sempre informado quando os assuntos são educação, ciência, tecnologia e games.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *