27 de fevereiro de 2024
Escute este Post
EscritosGames e Tech

Esquadrão Suicida – Heróis Morrem em Overdose

Uma grande overdose de Liga da Justiça inundou as redes sociais e sites da internet nos últimos dias, após o lançamento de Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça (Suicide Squad: Kill the Justice League), jogo lançado pela Warner Bros. Games e desenvolvido pelo time da Rocksteady (trilogia Batman Arkham). No game, há uma grande overdose de humor, que, por sinal, está muito bem colocada durante toda a gameplay.

Já não é de hoje que venho falando para alguns amigos e, às vezes, aqui em alguns textos, que as pessoas dos tempos de hoje não aceitam uma história como ela é. Parece que existe uma grande necessidade de se criar polêmica com tudo: a cor do cabelo, a cor da pele, a etnia, a sexualidade, se é mais forte, se tem poder demais e por aí vai.

E eu me lembro da frase que sempre ouvi dos meus pais: Se o mocinho do filme morresse no primeiro tiroteio, não teria filme. E essa frase é um respeito à obra que eles viam no cinema, e não importa se o filme é um western dos anos 50, um filme de guerra, de um exército de um homem só ou qualquer outro tipo. Se você não está disposto a aceitar que um homem pode parar uma bala com a mão, voltar no tempo, voar ou ver o futuro, está na hora de VOCÊ parar de ver.

Desculpem esta longa introdução, mas ela é necessária para que se reflita sobre este assunto antes de eu ouvir: A vaca de Guernica é muito reta, as vacas não são assim…

A História

Como toda boa história em quadrinhos, se precisa fazer algo fora da curva, é necessário um problema ou vilão que seja uma ameaça global. E para isso, foi escalado diretamente dos Confins do Universo (pega essa homenagem) o Coluano mais acumulador de cidades encolhidas que se pode conhecer: Brainiac! Desta vez, para um segundo round nos games da Warner, já que no primeiro ele aparece apenas como um vilão motivador da ação de Injustice 2.Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa

Em Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça, ele já chegou na terra, já está tacando o terror em Metrópolis, já sumiu com boa parte dos membros da Liga (Superman, Batman, Flash e Lanterna Verde) e está usando uma tecnologia para transformar humanos em soldados alienígenas de forma irreversível. Aqui é a parte onde ganhamos permissão de matar e não tentar curar os soldados de Brainiac.

Como o governo não pode mais esperar por uma ação de heróis, eles colocam em ação a Força Tarefa X (FTX, muito usada no game), que é composta de criminosos, com ou sem poderes metahumanos, que são controlados com mãos de ferro por Amanda Waller, através de implantes explosivos na base do crânio. E os descartáveis da vez são: Pistoleiro, Arlequina, Tubarão-Rei e Capitão Bumerangue.

Quando a FTX chega em Metrópolis, eles logo encontram o Lanterna Verde John Stewart, totalmente dominado pelo Brainiac. Neste primeiro encontro, são salvos pelo Flash, que conseguiu escapar sozinho da nave que sobrevoa a cidade de Metrópolis. Ao descobrir que o processo de conversão de heróis em escravos também é irreversível, Amanda, que não tem nada de paz e amor, dá a ordem que todo vilão da DC gostaria de receber: Matem a Liga da Justiça!

A Polêmica

Na trama, o confronto dos heróis de primeiro escalão da antiga National Allied Publications (eu amo a internet), com vilões nem tão poderosos como eles, ganhou força com comparações de quem poderia matar o Superman, quem derrotaria o Batman e etc. O mais engraçado é que se esqueceram dos protocolos criados por Batman em “Torre de Babel”, com os quais a humanidade poderia derrotar qualquer membro da Liga da Justiça.

Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa
Tá lá o corpo estendido no chão!

Por causa dessa falta de memória, ou mesmo desconhecimento, como dos fãs do cinema, que nunca passaram de duas ou três histórias em quadrinhos durante toda a sua vida, a polêmica ganhou peso, mas que no fundo não quer dizer absolutamente NADA. Para um próximo jogo, é um universo diferente; na última contagem, a DC tinha uns três ou quatro universos desocupados para usarem em grandes sagas, isso lá na criação dos Novos 52. O que não significa que um velocista possa mudar a história ou seja criada qualquer uma justificativa para a Liga da Justiça voltar à vida.

Jogabilidade

A gameplay do jogo é desenvolvida para você jogar com um ou com todos os heróis do esquadrão, de acordo com sua vontade. Eu joguei 98% do tempo com o Pistoleiro. O jogo tem missões de vários tipos, e algumas delas escalam para situações bem caóticas, com diversos inimigos em várias posições diferentes. Às vezes, você está lutando ao mesmo tempo contra tropas inimigas nos telhados, como também contra helicópteros e tanques nas ruas da cidade.

Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa
Uma olhada superficial no menu de Visuais. Notem que o segundo menu é do pós-jogo.

Algumas das tarefas te colocam contra inimigos com características específicas para que você treine seus diversos tipos de ataques e equipamentos. Uma delas é só dar dano nos inimigos com veículos do Chip.

Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa
Menu de equipamento, no game exitem 7 níveis de qualidade nos equipamentos. Jogando sozinho você pode equipar cada membro do esquadrão com os equipamentos que quiser.

O Chip é um dos membros da equipe de apoio do Esquadrão Suicida; eles basicamente servem para dar melhorias para suas armas e equipamentos.

Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa
A Hacker, do time de apoio, faz melhorias em você através da bomba implantada no seu crânio.

As batalhas que você pode travar no mundo aberto do jogo servem também para completar seus contratos de vilões, que servem para acumular itens e moedas do jogo, além de aumentar a experiência do seu personagem.

Cada personagem do Esquadrão Suicida tem um conjunto de armas particular, assim como poderes e golpes especiais, dando a cada um deles um tipo de jogabilidade diferente. O que por si só já aumenta o fator de rejogabilidade do game em 4 vezes. Sem contar que no fim do jogo você descobre que precisará de muito mais tempo de missão (leia-se temporadas) para derrotar seu(s) inimigos. E eu continuo sem dar spoilers.

Esquadrão Suicida. Imagem ilustrativa
Depois do fim da história, tem muito trabalho para o Esquadrão Suicida.

Agradeço demais à Warner Bros Games pela possibilidade de jogar esse jogaço. Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça está disponível no Xbox Series X|S, PS5 e PC.

Nos vemos nas próximas temporadas!

Informe Publicitário

Gostou? Deixe um comentário e compartilhe com amigos. Clique no Sininho vermelho e receba as novidades. Siga nosso canal do Youtube, e participem do nosso grupo do Facebook!

Sgt Rock 1967

Eduardo "Sgt Rock 1967" Rocha é o idealizador do Nós Nerds! Técnico em informática e gamer inveterado e veterano.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.