3 de março de 2024
Escute este Post
EscritosGames e Tech

Ghost Recon Wildlands é Chumbo Grosso!

É verdade, eu gosto muito de jogos de mundo aberto e também gosto muito de armas de fogo. Nunca tive uma, mas já vi muitas. E sendo assim, não tem como eu não ter gostado de Ghost Recon Wildland, o jogo da Ubisoft que nos leva para uma Bolívia imaginária, bem colocado no início do jogo, onde vamos confrontar um cartel de drogas no comando de uma equipe de 4 soldados altamente especializados, liderados por uma agente da CIA. Tipo de enredo que ambienta filmes de ação, onde o tiro rola solto, como se dizia: Chumbo grosso!

A História

O cartel das drogas Santa Blanca é dirigido por El Sueño (O Sonho), que mais me parece um pesadelo. Um criminoso fanático e opressor que, na melhor fórmula “dono de morro”, comanda seus territórios com muita generosidade com os favoráveis e executa os inimigos friamente.

Todos os líderes do Cartel Santa Blanca

O jogo começa na trilha de vingança da morte de um agente infiltrado do DEA (departamento de combate as drogas dos EUA) Ricky Sandoval, que depois de desmascarado é torturado e morto. A agente da CIA Karen Bowman, que liderava a operação de Sandoval, decide acabar de vez com Santa Blanca, recorrendo a ajuda de rebeldes Bolivianos do Katari 26, que tenta acabar com o a opressão do cartel.

A trama do jogo em parte me faz lembrar do filme Jogos patrióticos, mas não seria para menos, pois os dois são baseados na obra de Tom Clancy que, além de inspirar adaptações de seus livros em grandes filmes, deu origem a duas grandes séries de jogos, Ghost Recons e Rainbow Six.

O Jogo

Você comanda a equipe Ghost durante a Operação Regicida, que tem várias missões para cumprir durante o decorrer do gameplay e também missões secundárias, que aumentam a ajuda dos Kitaris ao seu esquadrão diretamente ou com captura de suprimentos para os rebeldes.

Seu personagem é Nomad, nome código de Anthony “Tony” Perryman, que comanda uma equipe com mais 3 Ghosts. Holt, Midas e Weaver.

Nomad, Weaver, Midas e Holt

Como oposição você enfrenta os soldados do cartel e a Unidade, uma força especial criada para combater o cartel que se corrompeu e trabalha para El Sueño.

Armas, Equipamentos e Veículos

O jogador pode escolher algumas armas logo no início do gameplay, o que mais se adaptar ao estilo de jogar. Você pode se armar com fuzis e submetralhadoras e partir para um assalto, metralhadoras leves e escopetas e ser algo mais próximo de Rambo ou um rifle de precisão e fuzis silenciados e ser mais sorrateiro.

Cada agente carrega três armas. Uma pistola ou pistola-metralhadoras como a Skorpion, e duas outras armas que podem ser das seguintes categorias, fuzis de assalto, fuzis de precisão, submetralhadoras, metralhadoras leves e escopetas.

Seus equipamentos vão sendo liberados durante a progressão do jogo e incluem um drone, que é seu desde o início do gameplay, granadas de fragmentação e de flash, c4, minas, iscas de atenção e sinalizadores.

A locomoção do jogo pode ser feita por vários tipos de carros, lanchas, helicópteros e aviões. A maioria você “pega emprestado” no jogo, alguns estão nos pontos de encontro com os Kataris e alguns são dos inimigos. O controle é simples e nada muito cheio de detalhes, o foco é o combate e não um simulador de carros ou aviões.

Solo ou Cooperativo

Você pode jogar sozinho e a I.A. (Inteligência Artificial) do jogo vai controlar os soldados da equipe Ghost. O que precisa de cuidado, pois eles precisam de melhorias no jogo para se tornarem melhores soldados, o que pode ser bem demorado no gameplay.

Outra alternativa é jogar no modo cooperativo. Você pode deixar seu jogo público ou aberto aos amigos, porém precisa saber que ao entrar outro jogador, sua equipe passa a ter somente jogadores e mais nenhum Ghost controlado por I.A., ou seja, se entrar um amigo, seu grupo desce de 4 soldados para apenas 2.

A evolução da história, os itens capturados e o aumento de experiência continuam individuais.

Dicas do Sargento

  • Não se apegue aos veículos. Eles servem para te levar de um ponto para o outro, se explodirem ou ficarem muito danificados, pegue outro e segue a vida…
  • Ataque com consciência, a maioria das missões não pedem para não ser notado ou põem em risco a vida de reféns, mas não é por isso que a vida de Rambos é facilitada, reforços sempre tendem a aparecer e ser muito precipitado pode levar a morte.
  • Use equipamentos, o drone bem usado dá uma vantagem tática absurdamente maior sobre os inimigos. Minas, C4, granadas e granadas de flash ajudam muito, se bem usadas.
  • Silêncio é ouro! Não ser detectado pelos inimigos pode te levar a “limpar” uma base inimiga sem nenhum disparo dos inimigos, facilitando muito sua vida. Use sem moderação os disparos sincronizados.
  • Para matar o Predador, sim, ele aparece no jogo, rodeie uma grande árvore!

Conclusão

Jogo terminado.

O final do jogo é realmente surpreendente, algo visto apenas nas melhores histórias, e se fizer todas as missões do jogo, você tem acesso a um final alternativo, que é bem clichê de filmes de ação.

Ghost Recon Wildlands é um jogo longo, um pouco repetitivo, como falar que todo jogo de mundo aberto acaba repetindo os tipos de missão, mas não diminui sua história e seus personagens. Gostei muito. Espero que a Ubisoft, lance outros Ghosts com a mesma pegada.

 

Logo Curti

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de dicas, sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do Youtube, e participem do nosso grupo do Facebook para acompanhar nossas publicações e ficar por dentro das notícias do mundo gamer, concursos e promoções!

Sgt Rock 1967

Eduardo "Sgt Rock 1967" Rocha é o idealizador do Nós Nerds! Técnico em informática e gamer inveterado e veterano.