17 de julho de 2024
Escute este Post
EscritosGames e Tech

Review GSP500

Fala galera, hoje vamos fazer um review do headset Sennheiser GSP500. A Sennheiser é uma das empresas mais tradicionais quando se fala em áudio. Desde microfones e headphones, até equipamento de controle de tráfego aéreo. Os caras são referência quando se trata de áudio.

Não faz tanto tempo que a empresa entrou no ramo de games. E entrou com tudo! O Sennheiser GameOne caiu nas graças da galera um pouco mais exigente: leve, confortável, de construção aberta e microfone muito bom.

Atualizando a linha GameOne, a Sennheiser veio com a linha GSP. Essa linha tem alguns diferentes produtos, mas vamos falar especificamente do GSP500, isso porque tenho cerca de 6 meses de uso com ele. A propósito, o time de eSports SK Gaming é patrocinada pela empresa e os atletas usam a linha GSP.

Apresentação do Produto e Caixa

O GSP500, ao vir da loja, vem acomodado numa caixa de papelão, muito resistente e bem-acabada. A caixa não tem muita firula, somente a foto do produto, com algumas informações. Na parte traseira, há um breve esquema da montagem do headset.

Ao abrir a caixa, damos de cara com o produto bem acomodado num molde de espuma (bem resistente, por sinal). O equipamento fica bem justo e a espuma impede qualquer movimentação dele. Dá uma sensação de segurança e de esmero por parte da empresa nesse aspecto.

Na parte debaixo da caixa, uma outra caixa menor guarda toda papelada (manuais, certificado de garantia e uma pequena carta de agradecimento).

Além da papelada, nessa caixa menor estão os dois cabos do produto. Sim, o headset tem cabo removível, o que é, na minha opinião, uma vantagem. E são dois cabos porque um deles tem entrada P2, ideal para ligar no controle do Xbox ou PS4, e um outro, que tem saída dedicada para áudio e para microfone separadamente, ideal para ligar direto numa placa de som de PC.

Qualidade do Áudio

Talvez o ideal agora seria falar do acabamento e construção do equipamento, mas vamos deixar isso para depois e falar da qualidade de áudio.

Acho que não preciso dizer muita coisa: o áudio desse headset é incrível! E é difícil saber por onde começar a falar disso, mas vamos lá.

A primeira coisa que me chamou atenção foi o equilíbrio das frequências. Não está faltando nada, nem sobrando nada: graves que dão a sensação de pancada, médios que não saturam os ouvidos nem se sobrepõem a nenhuma outra frequência e agudos precisos, mas que não gritam. O resultado disso é uma ótima percepção da paisagem sonora.

Os graves, particularmente, chamam muito a atenção: alguns tiros e principalmente algumas explosões soam muito bem definidas e dá até para sentir o deslocamento de ar na orelha! É algo incrível!

Outro ponto a ser destacado é a percepção do áudio 3D. É fácil localizar posicionamento de som no GSP500 por duas razões: primeiro, o drive grande ajuda nisso, já que ele vai entregar para o usuário as frequências mais adequadas para isso; segundo, o fato de o headset ter construção aberta. Falarei sobre a construção aberta no próximo tópico, mas como isso deixa o sem se propagar de maneira mais natural, a percepção é de uma paisagem sonora também mais ampla e natural do que nos headsets fechados.

E o Microfone?

O microfone é outro ponto em que o GSP500 se destaca. Um dos grandes pontos que a publicidade da linha GSP é justamente a qualidade do microfone. De fato, o microfone é bem superior do que qualquer outro headset que eu já tenha testado ou ouvido. Dá tranquilamente para fazer lives em qualquer plataforma de streaming e ficar tranquilo com a qualidade da sua voz. Um episódio interessante que aconteceu comigo: um amigo meu, vocalista aqui na minha cidade e gamer também, veio me perguntar qual o headset que eu estava utilizando porque a qualidade da transmissão da voz estava muito boa. É, o negócio é bom mesmo.

Um ponto negativo a respeito do áudio é que, ao utilizar o headset no Xbox plugado direto na entrada de áudio do controle (sem o adaptador), o áudio do microfone fica menos estável. Com isso, eu quero dizer que ele gera mais ruído. Acredito que seja pelo de que a entrada do controle não tenha uma qualidade tão boa.

Acabamento e Qualidade de Construção

O GSP500 é todo construído em plástico, exceto pelas articulações dos earcups que é feita de metal (alumínio). A construção é firme e o produto não apresenta nenhum ruído ao ser manuseado, o que dá a impressão de que tudo ali está bem encaixado.

As almofadas são de tecido e não apresentam couro, o que na minha opinião é bom já que não há risco de haver ressecamento e esfarelamento do todo do couro, algo comum em headsets e headphones. O ponto negativo disso é que é necessário que o usuário faça uma limpeza mais frequente nas almofadas, já que oleosidade e resto de pele podem se acumular por ali.

Os dois cabos que acompanham o headset também têm acabamento em tecido. Ambos têm qualidade de cabo de estúdio. Os cabos têm um certo peso, o que é ótimo na hora da utilização já que eles pendem sempre para baixo.

Nem Tudo é Perfeito

A parte do headset que recebe minha pior crítica é o arco (a parte onde se conectam os dois earcups). Ele é acolchoado em tecido, mas com um acabamento diferente do tecido das almofadas. E quando digo diferente quero dizer numa qualidade não tão boa. Além disso, poderia haver mais material de acolchoamento. Não é raro em sentir um incômodo na cabeça depois de usar o headset por algumas horas e normalmente eu preciso mudá-lo ligeiramente de posição para me livrar do incômodo. Enfim, encontrar uma posição confortável com ele pode não ser tarefa fácil.

Isso nos traz a um outro ponto: conforto. O headset não chega a ser pesado, mas poderia ser mais leve também. No momento em que se coloca o headset, a primeira impressão é de bastante conforto. Entretanto, em jogatinas mais longas (4 horas ou mais) já é possível sentir um desconforto e o peso dele na cabeça.

O GSP500 tem duas regulagens: aquela tradicional regulagem de tamanho, para que se adeque a diferentes tamanhos de cabeça; e além dessa, ainda há uma regulagem de quanto o arco se fecha. Portanto, é possível ter uma regulagem mais aberta, ou mais fechada, o que é muito bom.
Na regulagem de tamanho, o produto não traz nenhum medido ou marcas para que o usuário perceba visualmente qual é a regulagem que ele mais gosta. À medida que se muda o tamanho do arco, da para se perceber um clique e o usuário tem que decorar quantos “cliques” fica bom para ele. No meu caso, por exemplo, são seis.

Aberto ou Fechado?

O GSP500 possui arquitetura aberta, o que permite que o som produzido vaze para fora dos earcups. Eu, particularmente, prefiro os headsets e headphones de construção aberta. Por deixar o som seguir sua propagação natural e vazar, a paisagem sonora criada é também mais natural. Se você mora num ambiente barulhento ou prefere não ser incomodado por absolutamente nada enquanto joga ou ouve música, recomendo um headset fechado. No caso da linha GSP, o similar fechado seria o GSP600, mas também um mais acessível: GSP300.

Para finalizar este tópico, o produto ainda tem um botão de volume do earcup direito. Ao deixá-lo totalmente silencioso (e, portanto, mudo) é possível sentir um clique. É possível também deixar o microfone no mudo apenas levantando ele para posição original.

Preço

É aqui que o bolso dói. No momento em que escrevo este texto, o Sennheiser GSP500 custa R$1.439,99 reais, divididos em até 12 vezes, ou R$1.223,99 para pagamento à vista no boleto. É uma bela de uma facada, considerando que custa mais do que um console.

E aí pode-se imaginar as razões para isso. A razão é simples: um produto como esse pode durar uma vida inteira e você nunca mais precisará de outro. Um console não. Não que eu esteja defendendo o preço alto, ainda acho muitíssimo salgado, mas é compreensível. No final das contas, eu recomendaria o GSP500 para quem está no cenário competitivo de eSports ou para os audiófilos, viciados em áudio (meu caso).

Um outro ponto interessante são os dois anos de garantia que a Sennheiser do Brasil dá. Em conversa no chat do atendimento, fui informado de que é possível inclusive a troca do produto eventualmente defeituoso por um novo.

Concluindo…

Microsoft LATAMO Sennheiser GSP500 é um equipamento premium, de ponta. A qualidade de áudio é surpreendente e é muito bom ouvir todas as nuances que o headset te oferece. O preço e o ponto negativo do conforto são dois pontos bem negativos. Aliás, pelo preço que se paga, o produto deveria ser bem mais confortável e se encaixar melhor na cabeça.

Reitero minha recomendação a atletas de eSports e viciados em áudio.

É isso galera, quero agradecer a quem leu até aqui!
Me sigam lá no mixer onde faço live todos os dias (/FelipeGrisi)!

Um abraço!!!

Adquira já

 

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de dicas, sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do Youtube, e participem do nosso grupo do Facebook para acompanhar nossas publicações e ficar por dentro das notícias do mundo gamer, concursos e promoções!

 

Felipe Grisi

Felipe "fGrisi" Grisi, músico, sound designer e gamer! Me adiciona na live e no Mixer (/FelipeGrisi) para trocarmos uma ideia!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.