27 de fevereiro de 2024
Escute este Post
EscritosGames e Tech

Watch Dogs: Legion Sobreviveu às Expectativas

Quando Watch Dogs: Legion foi anunciado e disse que poderíamos recrutar qualquer transeunte na rua, todos ficamos curiosos para saber como isso seria implantado. Resumindo, a mecânica funciona até que bem, mas esse é também um dos grandes defeitos do jogo. Além disso, há muitas coisas que não são tão bem explicadas, e parece que há um buraco no roteiro, não sei dizer se é proposital ou não, mas no geral a coisa funciona bem.

Uma Londres Hi-Tech

O jogo se passa na cidade de Londres, mas em um futuro não muito distante. Aqui as pessoas já andam com um objeto chamado Optik, que pode ser usado de diversas formas, inclusive para rastreamento. No começo da jornada nós controlamos um agente do Dedsec que está em uma missão para impedir que uma bomba exploda. Essa parte funciona como um tutorial e dá para aprender bem os comandos e as possibilidades que o game disponibiliza. E após falhar em prevenir a explosão, podemos escolher nosso primeiro personagem dentre uma lista enorme de opções. Nenhum deles é extremamente habilidoso com nada, mas eles servem para começarmos nosso exército.

Durante todo o caminho, somos auxiliados pela Inteligência Artificial Bagley e sua criadora, Sabine Brandt. Eles quem nos guiam para as mais diversas missões na cidade de Londres. Basicamente, podemos considerá-los como os personagens principais da trama, já que ela se desenvolve apesar do personagem que você está utilizando. Isso não é ruim, pelo contrário, já que muitos possuem diversas habilidades diferenciadas. Contudo, não há como se ter uma maior conexão com eles, já que eles efetivamente não importam para o desenrolar de tudo.

Os acontecimentos do jogo são muito bons. Há algumas viradas e traições que eu já esperava acontecer, além de fatos que me deixaram genuinamente chocados. Caso o game tivesse uma roupagem mais voltado para o terror, como Resident Evil 7, eu com certeza não jogaria. A trama é boa e vale a pena se jogar.

A imagem mostra uma fotografia tirada na Tower Bridge no game Watch Dogs: Legion
Londres conta com 8 bairros em Watch Dogs: Legion

A cidade de Londres é belíssima. Tudo na cidade parece vivo e cheio de cores. Há canhões de luzes que mostram imagens em diversas partes do cenário e os principais pontos turísticos estão todos lá. Como o Olho de Londres, a roda gigante da cidade, o Circo Picadilly e muitos outros. Mas todo o resto parece que está ali apenas para preencher o espaço. Não podemos explorar prédios e lojas. A compra de roupas para os personagens é uma das coisas mais bizarras que já vi. Agora é um ponto na parte da frente do comércio e vamos mudando de roupa e comprando. Poderiam ao menos ter feito o interior dessas lojas, por mais que seja perfumaria, seriam coisas a mais para se visitar.

Um Arsenal Tecnológico

Felizmente, o game não tem sistema de nível. Ou seja, os inimigos do começo do jogo podem ser detonados tal quais o do final. Tudo depende dos seus equipamentos. O DedSec não usa armas letais, o que, para mim, é bem chato. Eles usam armas de choque que causam dano. Há quatro disponíveis, mas durante todo o tempo que as usei, somente a pistola me serviu. Primeiro por conta sua alta cadência, segundo a sua facilidade de se mirar e por fim por ser silenciosa.

Posteriormente podemos recrutar membros que possuem armas de verdade, e que delícia que é poder balear o adversário. Esses novos personagens com armas diferentes estão espalhados pela cidade e podemos ver o que cada um tem ao abrir o seu perfil, basta dar uma volta pela cidade e procurar alguém que esteja de acordo com o que você precisa. De resto, há uma série de outros equipamentos e hacks disponíveis.

Uma vez que você dominar como controlar os drones que possuem armas, qualquer invasão automaticamente fica mais fácil. Isso acontece porque eles fazem muito barulho e os inimigos vão direto nele, aí é só balear todo mundo. Feito isso, é só entrar no local e fazer sua missão calmamente.

E dentre todos, o melhor equipamento que temos é a aranha robô. Ela consegue entrar em dutos de ar, com isso ela consegue acesso fácil em quase todos os lugares. Aí é só ativar armadilhas, abrir portas e pegar o que tiver pelo caminho. O legal é que você pode jogar literalmente da forma que quiser. Ainda há uma série de outros itens legais, mas que eu não utilizei.

Um Exército de Transeuntes

Como dito acima, podemos recrutar qualquer pessoa na rua. Algumas odeiam o Dedsec, então temos primeiro que ganhar a confiança dela, seja realizando alguma ação com quem ela conhece ou ajudando onde mora. Podemos chamar desde bêbados até espiões e matadores profissionais.

Poder recrutar livremente é muito divertido, mas no frigir dos ovos, pelo menos pra mim, não compensa você utilizar personagens menos talentosos. Se você usa uma pessoa que já tenha uma arma, ele sabe como empunhá-la, e não fica parecendo um estranho atirando com a pistola de choque. Eu senti até que a mira é meio esquisita com quem não tem armas próprias. Mas eles podem ser úteis em missões de infiltração, então depende de como você joga. Eu procurei usar mais os espiões, já que eles têm arma própria com silenciador. E também como meu estilo de jogo é meio Rambo, para mim foi bem conveniente.

Imagem apresenta a tela de escolha de personagens com um espião selecionado em Watch Dogs: Legion
Espião. Uma das melhores classes em Watch Dogs: Legion

Eu considero essa mecânica um dos grandes acertos e um dos maiores erros do game. É um acerto pois podemos adaptar o nosso estilo de jogo ao personagem que escolhemos e isso é um erro pois não criamos nenhum tipo de  ligação com ele, já que escolhemos pelas habilidades e não por sua história.

É diferente, por exemplo, do que aconteceu com o Aiden no primeiro jogo. Já que tudo acontece por conta dos seus dramas pessoais e escolhas. Aqui em Watch Dogs: Legion temos uma IA e uma personagem que ditam o que fazemos, independente de quem estiver como nosso personagem principal.

Som na Caixa, DJ

No game há a opção de escolher algumas rádios, elas variam desde a música eletrônica até a clássica. A escolha das canções é muito boa, mas eu senti muita falta de canções antigas, como God Save the Queen, do Sex Pistols, ou alguma canção proveniente da revolução do Heavy Metal entre os anos de 1970 e 1980. Mas fora isso, é uma boa escolha.

Apesar de, se você usar muito o piloto automático do game, como eu fiz, as músicas se tornam um tanto quanto repetitivas. Acredito que poderiam adicionar mais variedade nos próximos jogos.

Além disso, há a opção de ouvir alguns podcasts. Alguns deles tem temas bem atuais e são um tapa na cara da sociedade como um todo. Não quero de forma alguma entrar no conteúdo ali passado, só deixar registrado que o pessoal da Ubisoft fez um baita trabalho com eles.

E eu não podia deixar de comentar sobre a dublagem nacional. Quando eu comecei a jogar, ainda não havia a opção de baixar as vozes brasileiras, então comecei a jogar com o inglês britânico. Muitas das vezes os personagens não combinavam em nada com sua contraparte sonora, e algumas das vezes em que estava usando um personagem masculino e caia, ele dava um grito como um feminino. O que definitivamente não acontece na dublagem brasileira.

A Unidub fez um trabalho excelente e eu somente comecei a gostar do Bagley depois de ouví-lo em português. Todas as vozes combinam com os seus respectivos personagens e eu recomendo demais o excelente trabalho de todos os envolvidos.

Watch Dogs: Legion Salva Londres

Watch Dogs: Legion está longe de ser um jogo perfeito. Ele tem sim os problemas que já comentei acima, mas ele é divertido, o que o jogo anterior não é. Dá para se passar muitas e muitas horas passeando por Londres e conhecendo diversos detalhes escondidos no game. Além disso, há ainda o retorno de Aiden, no conteúdo vendido no Passe de Temporada. Estou ansioso pelo que virá. No geral, eu recomendo demais Watch Dogs: Legion. Se tiver disponibilidade, pegue-o e dedique algumas horas a ele, com certeza você se apaixonará por essa aventura.

Informe Publicitário

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de dicas, sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do Youtube, e participem do nosso grupo do Facebook para acompanhar nossas publicações e ficar por dentro das notícias do mundo gamer, concursos e promoções!

Ailton Bueno

Um treinador de Pokémon aposentado que abandonou a carreira para escrever sobre joguinhos. Nos tempos livres, eu me enveredo pelos mais longos JRPGs que encontro e perco várias horas treinando explorando os mundos.

2 thoughts on “Watch Dogs: Legion Sobreviveu às Expectativas

  • Excelente analise, detalhada e bem explicada. Dá pra ver que o escritor realmente jogou e se divertiu com o game

    Resposta
    • Sgt Rock 1967

      Diego, No Nós Nerds, nos podemos demorar para fazer uma análise de games. Mas somente demoramos, pois estamos jogando o game.

      Resposta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.